10 dicas essenciais para ser um programador freelancer de sucesso!

O mercado para programadores freelancers só cresce e, com isso, surge aquela dúvida clássica: como se destacar!? Descubra agora!

Encarar a carreira de freelancer pode parecer um desafio, principalmente no início, quando você tem dúvidas sobre como conquistar clientes e onde encontrá-los. Mas não se preocupe: seguindo algumas dicas essenciais você poderá ser um programador de sucesso, trabalhando com freelas! Quer saber como?

1. Faça de você sua própria marca

Como o número de freelancers não para de crescer, é razoável que você queira se destacar. Para isso, é importante pensar em seu trabalho como o principal cartão de visitas. Seja proativo e estratégico em divulgar o que você faz. Use as redes sociais, fan pages e blogs para divulgar seu portfólio, por exemplo.

2. Portfólio em dia

Vale lembrar que o portfólio precisa estar SEMPRE em dia. Acrescente seus trabalhos recentes e os que você considera bons em chamar a atenção e captar o cliente. Atualize-o com frequência.

3. “Como encontro trabalho?”

A Workana, por exemplo, é uma excelente plataforma para encontrar clientes. São inúmeros projetos publicados por lá diariamente e você terá uma gama de opções para escolher e se candidatar aos que mais se encaixam no que você sabe fazer.

Uma das grandes vantagens de ser freela é poder escolher com quem você quer trabalhar, quando e onde. Na Workana, você encontra as pessoas e projetos certos para seu perfil.

4. Envie propostas

Ao se cadastrar, pesquise as oportunidades disponíveis com frequência. A Workana é uma plataforma ativa e movimentada, há projetos de programação sendo publicados o dia inteiro. Há profissionais que trabalham exclusivamente com clientes da Workana, e nunca falta trabalho 😉

Separe sempre algum tempinho do dia para enviar novas propostas, apresentar seu portfólio e contar porque você é a pessoa certa para o projeto. Se tiver dúvidas sobre valores, utilize a calculadora freela, uma ferramenta ótima que vai te dar uma luz na hora de cobrar por seu trabalho.

5. Seja responsivo

Esteja disponível para conversar com seu cliente. Quando se é freelancer, existe a facilidade de lidar com o tempo de uma forma diferente do que você seria capaz se estivesse em um emprego fixo.

Então, envie respostas e tire dúvidas o mais rápido possível para que o seu cliente sinta que você está mesmo interessado em trabalhar em seu projeto. Foque na boa comunicação com o cliente.

6. Cumpra prazos e fidelize

Seu cliente com certeza vai procurar por você mais vezes se você cumprir certinho com prazos e diretrizes. Claro que você também pode dar dicas e sugestões que acrescentam mais valor ao projeto, mas lembre-se de entregar, para seu cliente, o seu melhor. Esteja também, sempre de acordo com o que ele deseja.

Na Workana você recebe uma classificação e também pode classificar o cliente e contar como foi a experiência.

7. Organize-se

Programadores que trabalham como freelancers precisam ter tempo para tudo! Divida seu tempo entre projetos, colocando sempre alguns minutos a mais para ter certeza de que vai dar conta de cada projeto e tarefa do dia.

8. Tempo para você

Isso também é mega importante, mas muita gente se esquece: faça pausas durante o seu trabalho para evitar o desgaste de seu corpo e mente.

A síndrome de burnout, por exemplo, ou dores nas costas por conta de má postura são coisas que devem ser evitadas para que você renda muito mais e não sofra ao trabalhar home office.

9. Não pare na pista!

Defina seu foco e dedique-se! Profissionais que param no meio do caminho e nunca se atualizam acabam ficando de fora. Os clientes percebem quando um profissional está atualizado em sua área de atuação. E,quando falamos de programação, é preciso ter total conhecimento e domínio de linguagens e em quais plataformas elas são utilizadas.

  • Faça pesquisas e, principalmente, faça cursos online
  • Assista a canais e vídeos voltados para a programação
  • Participe de Workshops

Enfim, fique em dia com conteúdo que enriqueça e te dee ainda mais background.

 

Teste seus conhecimentos com o nosso quiz de banco de dados relacionais e SQL

10. Networking

Além de continuar sempre estudando, mantenha-se ativo em fóruns e grupos com outros profissionais que trabalham no mesmo nicho e atividade que você. Assim, você fica por dentro de novidades e outras atualizações, além de compartilhar experiências.

Gostou das dicas?

Diga o que você achou deixando o seu comentário abaixo! Aproveite também para se manter atualizado aqui no blog da Becode e no blog da Workana! E não perca mais tempo: comece já a trabalhar freelance! É só clicar aqui 🙂

14 de novembro de 2017

2 comentários

  1. Olá equipe BeCode, parabéns pelo belo site e blog!
    Trabalhei por quase 30 anos c TI, fundamentalmente em desenvolvimento de sistemas corporativos em linguagens de 2a geração (Cobol, Mumps etc), atuando posteriormente tb com banco de dados, análise de sistemas e negócios e especificação (UML, SQL, prototipação, definição de tabelas etc.), migrando gradualmente p funções de coordenação de projetos (CAPM/PMI) e desenvolvimento de sistemas (RUP). Tb atuei com ITIL e CobiT (governança).

    Mudei de área profissional e nos últimos quatro anos dediquei-me ao desenvolvimento de competências e habilidades hard/soft junto a profissionais de TI, atuando como coach de carreira e executivo, atividade que pratico part-time.

    No momento tenho 51 anos e estou estudando imigrar p o Canadá ou Europa, e elaborei um planejamento p atuar como desenvolvedor front-end (FED) até o final de 2018 reciclando-me e estudando online por conta própria, sabendo da demanda desse profissional fora do país (mesmo c idade mais avançada).

    Será q mesmo c minha idade, tenho chance de atuar como freelancer no Brasil ou mesmo de ser contratado por alguma empresa p ganhar experiência como FED, sabendo do preconceito etário q existe por essas terras, relacionado a profissionais mais experientes (mais velhos)? Ou é melhor me focar na imigração mesmo, haja vista não ter como quebrar as barreiras do preconceito etário tupiniquim? Como vcs avaliariam a receptividade de um profissional FED c meu perfil tentando atuar no Brasil?

    • Foto de perfil de Becode

      Olá Wagner, tudo bem?

      Então, infelizmente não tem como negar a existência desse preconceito. Até fizemos um post sobre isso:
      Carreira na TI depois dos 30? Veja 10 dicas para vencer o preconceito!

      Contudo, existem sim formas de “driblar” o preconceito. Uma boa forma é através de trabalhos freelancer. Quando o empregador quer contratar um freelancer ele só está pensando em “Get the job DONE!”. Alguém que faça! Como ele não está se comprometendo com um relacionamento a longo prazo, o empregador não fica analisando tudo, inclusive a idade da pessoa. Portanto, você pode tentar se inserir nesse meio dos freelancers até você conseguir portfólio. Uma vez que você conseguir portfólio, o emprego fixo vem com mais facilidade.

      De qualquer forma, mudar para outro país é sempre uma boa opção. Então também não descarte essa ideia. Como sugestão de curso, aconselho dar uma olhada nesse aqui. Abraços!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © Becode. Todos os direitos reservados.

Login

ACESSAR COM

FACEBOOKGOOGLE CRIAR CONTA
Criar conta Back to login/register

Envie para um amigo