O que é CMS e quais são os 4 mais utilizados no mundo! | Becode

O que é um CMS e quais são os 4 mais utilizados no mundo!

Você sabia que mais de 30% da internet utiliza algum tipo de CMS? Sim, é muita coisa! Isso significa que cerca de 20 milhões de sites são feitos utilizando esta tecnologia (Dados do site Built With). OK, mas o que leva tantas empresas a utilizar serviços de CMS e de que forma o conhecimento nessa área pode ser útil para você? Mais importante, você sabe o que é um CMS?

É isso que veremos neste post! Você aprenderá o que é um CMS, qual é sua diferença para serviços como o Wix e de que forma você pode aprender mais sobre essa ferramenta que domina grande parte da internet. Está pronto para conhecer mais sobre o universo dos CMS? Sim? Então, continue lendo e vamos lá!

CMS: o que significa?

Bom, CMS é uma sigla que significa Content Management System (Sistema de Gestão de Conteúdo, em português). Trata-se de um sistema que serve para gerenciar conteúdos multimídia, como: fotos, vídeos, textos, animações, etc. Atualmente as aplicações para CMS são inúmeras, desde blogs pessoais a portais institucionais e lojas virtuais.

Não é a toa que grandes empresas, como Disney, Ford, Forbes e CNN usam algumas das plataformas que iremos citar aqui. Fato que mostra que elas podem ser robustas, práticas e profissionais ao mesmo tempo. E o melhor! Isso não quer dizer que sejam sistemas extremamente complexos e impossíveis de se trabalhar a fundo!

Até porque, as pequenas empresas e profissionais liberais adoram usar soluções de CMS em suas operações, pois é uma forma barata de ter um belo site, personalizável, com conteúdo dinâmico e sem gastar muito.

Dito isso, é possível afirmar que o uso de CMS se posiciona como uma excelente opção tanto para os gigantes do mercado, como pequenos negócios e profissionais autônomos. Agora vamos descobrir alguns dos principais motivos para aprender, no mínimo, o básico sobre o funcionamento de um CMS.

Usado por muitos

Uma pesquisa realizada em março de 2018 considerou que existem quase 20 milhões de sites feitos em WordPress, que é apenas uma das muitas ferramentas de CMS que existem. Sabendo que grande parte das empresas usam essa tecnologia, é possível também concluir que conhecer essas ferramentas conta como um fator positivo na hora de garimpar um emprego, seja como desenvolvedor ou em áreas relacionadas, como web design e a área de comunicação.

Interfaces amigáveis

Uma das vantagens de usar um CMS é que essa tecnologia facilita a forma como websites mais simples são mantidos. Ao invés de ter que colocar a mão no código toda vez que uma alteração for necessária, esses sistemas acabam automatizando grande parte da parte técnica, permitindo que você mexa em funcionalidades apenas de forma visual.

Isso é muito útil na hora de entregar o site a um cliente que não tem muita vivência com tecnologia. Com isso, ele poderá manter seu site no ar (e atualizado) usando apenas uma interface amigável e simples.

CV mais interessante

Se você aprende ou se especializa em um CMS específico, como o WordPress, você ganha uma nova habilidade, o que valoriza muito o seu CV. Pois trata-se de uma habilidade extremamente valorizada no mundo moderno. Isso tanto para programadores, quanto para não programadores.

E o melhor de tudo é que estamos falando de uma tecnologia relativamente fácil de aprender e começar a usar. Além disso, quando você aprende de fato a trabalhar com um WordPress da vida, você pode fazer a manutenção de um CMS e pode descolar uma grana extra com isso, seja em um emprego formal ou fazendo freelas para empresas e clientes pontuais.

Outro ponto interessante é que os CMS são plataformas personalizáveis. Isso significa que um desenvolvedor web poderá alterar o frontend dos sites criados e criar novas funcionalidades através do backend. Se você escolher o WordPress, por exemplo, todo o código de backend será em PHP, o que facilita a vida do programador, que não precisa aprender uma linguagem completamente nova para tirar proveito do CMS. Em outras palavras, se ele já conhece PHP, terá uma facilidade enorme com a tecnologia (WordPress, nesse caso).

Espera, ficou com dúvida quanto aos termos back-end e front-end? Então, separe uns minutinhos e leia nosso post sobre o assunto. Temos certeza que ele vai te ajudar!

Não é Host Service

Além de saber o que é um CMS, é importante saber diferenciá-lo de outras soluções parecidas no mercado. Você provavelmente já ouviu falar no Wix, Shopify, BigCartel e outros serviços parecidos, certo? Esses sistemas, chamados de Host Services, são excelentes e muito utilizados para quem quer criar um site rapidamente e sem muito esforço. Contudo, o problema deles é que eles não são totalmente controláveis pelo seu respectivo administrador, que fica preso aos temas e funcionalidades que essas ferramentas entregam. Em outras palavras, o administrador não tem acesso ao código da aplicação. Portanto, se você é um desenvolvedor, esqueça soluções do tipo Host Services. Com elas, você não conseguirá desenvolver e programar novas funcionalidades para a sua aplicação.

Pensando nisso, trabalhar com CMS é mais interessante! Diferente dos Host Services, sistemas CMS permitem que você mude o que quiser no código, o que deixa as coisas bem mais personalizáveis e dinâmicas. Portanto, se sua ideia é criar algo que você possa modificar, fuja dessas ferramentas e venha para o lado CMS da força!

Bom, agora que você já sabe o que é um CMS e conhece a diferença deles para os Host Services, que tal conhecer as tecnologias de CMS mais utilizados do mundo como um todo? Vamos lá!

Os 4 principais CMS do mercado!

Quando falamos em CMS, existem centenas de opções disponíveis. Algumas mais fáceis de personalizar, outras com mais opções de plugins. Dentre todas essas variações, com certeza existem algumas que são descaradamente as mais utilizadas no mundo e, portanto, as mais confiáveis em termos de manutenção e continuidade da tecnologia. Bom, agora vamos ver cada uma delas no detalhe, indicando suas principais características e benefícios. Confira abaixo!

WordPress

O WordPress é apontado como o maior CMS de toda a internet. Considera-se que quase 30% da internet roda em sites feitos em WordPress, o que é MUITA COISA! Tudo isso começou em maio de 2003, quando Matt Mullenweg, Ryan Boren e Donncha O. Caoimh se uniram em torno da ideia.

Embaixo do capô, o WordPress funciona com PHP para o back-end e MySQL para o banco de dados. Para front-end, utiliza-se as já tradicionais linguagens HTML, CSS e JavaScript. Uma de suas características é a simplicidade na utilização, o que é traduzido através de uma interface polida no backoffice da aplicação. Com isso, criar posts ou adicionar funções se torna algo simples e rápido de fazer.

O funcionamento de sites feitos em WordPress está ligado a três fatores essenciais: temas, plugins e conteúdo. Por exemplo, quando você quer adicionar uma nova funcionalidade (código) às já existentes naquele determinado tema (template), você pode fazer isso através de plugins de terceiros ou plugins que você desejar criar. Por outro lado, o conteúdo de sites que usam a plataforma é adicionado através de “páginas ou posts”, que podem receber texto ou arquivos multimídia.

Como lado negativo, por vezes, conhecer todo o código por trás de um tema wordpress pode levar tempo, o que dificulta a manutenção e evolução de sistemas que foram originados de temas fabricados por terceiros. Contudo, na grande maioria dos casos, isso só vai acontecer em sistemas extremamente complexos. Nessas situações, é interessante ter uma equipe dedicada para a manutenção e evolução do código do sistema.

Onde encontrar temas WordPress?

Uma das melhores coisas do WordPress é o seu amplo portfólio de temas disponíveis. Estes, sempre modernos, impressionantes e completos! Com relação a isso, você pode encontrá-los de format gratuita ou paga. Obviamente – com pouquíssimas exceções – quanto mais você paga, melhores serão os recursos e funcionalidades presentes no tema adquirido.

Na minha opinião, você pode encontrar as melhores opções de temas WordPress nos links abaixo:

  • WordPress – Site oficial do WordPress, possui temas básicos e gratuitos
  • Themeforest – Os melhores temas que existem na web (minha recomendação)
  • aThemes – Boas opções gratuitas e pagas

WordPress.org e WordPress.com são diferentes!

IMPORTANTE! Uma dúvida que pode aparecer na hora de se trabalhar com WordPress é qual dos serviços utilizar. Falo isso porque existem dois sites para essa tecnologia, o WordPress.com e o WordPress.org. Isso acontece porque existe um serviço de blogs chamado WordPress.com, que utiliza a mesma estrutura que o WordPress.org, mas com hospedagem nativa (Host Service) e, portanto, não proporciona acesso ao código.

Se você quiser ter acesso ao código e todas as funcionalidades do CMS wordpress, você vai precisar escolher o WordPress.org. Assim, é possível personalizar os temas e alterar o código-fonte da aplicação. Utilizando o WordPress.org, você poderá colocá-lo em seu servidor e trabalhar com toda a liberdade do mundo. Isso porque ele foi criado para deixar o controle na mão do desenvolvedor, diferentemente do WordPress.com.

Como aprender WordPress para valer?

O WordPress é uma ferramenta relativamente fácil para aprender fazendo. Exato! Instale e comece a fuçar. Contudo, para chegar a um nível profissional, uma ajuda extra é muito bem-vindo. Nesse caso, a recomendação é que você procure aprender com um especialista. No caso, você pode dar uma olhada nesse curso de WordPress que é extremamente completo e bem avaliado. Tenho certeza que vai te ajudar muito caso o seu objetivo é ser um especialista em WordPress!

Joomla

O Joomla é mais um CMS feito com PHP e MySQL. A plataforma existe desde 2005, tendo sido criada pela empresa Open Source Mattes. Assim como o WordPress, é uma plataforma livre, ou seja, você não paga para criar sites em cima de sua estrutura. Estima-se que 7% da internet rode em sites feitos com este CMS.

Como principais vantagens, podemos citar que ele é mais personalizável que o WordPress, o principal CMS do mercado. Além disso, trabalha melhor com backups, sendo mais fácil manter cópias de segurança daquilo que você desenvolveu.

Como desvantagem, o Joomla dificulta um pouco a inclusão de novos conteúdos. Caso você queira um site pra atualizar constantemente, isso pode ser um problema. Para buscar temas para Joomla, sugiro os seguintes sites:

Como aprender Joomla?

Da mesma forma que o WordPress, contar com a ajuda de um curso para aprender a trabalhar com o Joomla também pode ser uma boa ideia. Pense nisso caso a sua escolha seja o Joomla.

Drupal

Talvez o mais avançado de nossa lista, o Drupal é uma combinação de CMS com APIs e módulos que incrementam sua forma de funcionar. Escrito em PHP e utilizando MySQL como banco de dados, acaba por ser uma das opções escolhidas por aqueles que querem ter mais controle sobre o que estão fazendo.

Algumas pessoas costumam descrever o Drupal como um framework de gestão de conteúdo devido a forma como ele foi desenvolvido. Isso acontece porque, visualmente, ele funciona com uma série de módulos. Quando você faz a escolha quanto a o que integrar, os hooks (ganchos, em português) tratam de adicionar as funcionalidades no código, deixando o desenvolvedor com menos trabalho técnico para fazer.

Uma das coisas que torna o Drupal mais consistente que outros CMS, em termos técnicos, é o fato de ser o mais antigo (criado em 2000). Por outro lado, isso acaba sendo um problema quando se estamos falando em facilidade de utilização. Muitos usuários criticam sua complexidade, sendo uma das explicações de ele não ser tão utilizado como o WordPress, por exemplo.

Para encontrar temas para Drupal, você pode visitar os seguintes sites:

Como aprender Drupal?

Mais uma dica chegando! Para aprender o Drupal, que é um sistema um pouco mais complexo, realmente é interessante contar com a ajuda de um curso online. Nesse caso, sugerimos esse aqui. Infelizmente, ele está disponível somente em inglês.

Magento

Chegando ao fim da nossa lista, temos o Magento, um conhecido CMS voltado para e-commerces. O sistema foi lançado em 2008, já tendo passado pelas mãos do eBay, que acabou por deixar a empresa em 2015. Nem por isso ela caiu em desuso, sendo hoje uma das principais plataformas de e-commerce que existe na internet.

Um de seus trunfos é ser mantido pelas opiniões da comunidade, o que faz com que atenda ao que as empresas mais precisam. Não é à toa que, entre seus clientes, constam Ford, Nike e Samsung (só para citar alguns). Por ser criada também em PHP e MySQL, tem uma grande adaptabilidade em termos de funcionalidades e visual.

Para adicionar funcionalidades, existem extensões gratuitas e pagas, que podem ser encontradas através da marketplace do Magento. Lá você pode encontrar também integrações com serviços de newsletters, melhorias para o CMS e temas.

Por falar em temas, abaixo você pode encontrar versões gratuitas e pagas para o Magento:

Como aprender Magento?

Última dica de curso chegando. Para aprender a trabalhar para valer com o Magento, sugerimos que você dê uma olhada no seguinte treinamento de Magento.

CMS, vale a pena aprender?

Depois de tantos exemplos, deu pra ver que os CMS são uma das formas mais dinâmicas de criar websites hoje, não é mesmo? De blogs a e-commerces, tudo pode passar por eles! Utilizar um CMS para fazer sites pode ajudar bastante a economizar tempo de desenvolvimento, além de permitir uma série de integrações automáticas.

Contudo, se você quer aprender a programar do zero, talvez não seja a melhor opção. Se esse for o seu caso, veja neste post qual é o passo-a-passo para se tornar um desenvolvedor de software.

Agora, se você já conhece desenvolvimento e está pronto para aprender mais sobre a tecnologia de CMS. Ou ainda, caso o seu interesse seja simplesmente colocar um site no ar, sem de fato precisar aprender a programar. Bom, em ambos esses casos, com certeza esse post é por você.

Pensando nisso, reveja os cursos que citamos ao longo do artigo e invista em aprender a trabalhar com essas tecnologias fantásticas. Espero que o post tenha ajudado. Boa sorte!

O que você achou desse post?

1 point
Upvote Downvote
Erick Scudero

Escrito por Erick Scudero

Especialista em Marketing Digital e apaixonado por tudo que envolve o universo de tecnologia e comunicação. Durante sua jornada na terra dos cangurus (Austrália), atuou em diversos projetos prestando consultoria em questões de UX, SEO, Marketing Digital e modelos de negócio com foco em startups. É cofundador da Becode, da M2up e instrutor de cursos presenciais na TargetTrust.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

Comentários

A imagem mostra uma aplicação web sendo criada com as tecnologias HTML, CSS e JavaScript.

5 aplicações que podem ser criadas aprendendo apenas HTML, CSS e JS

A imagem apresenta um servidor de hospedagem transferindo dados para um computador comum, resumindo brevemente o que acontece quando navegados na internet. O servidor em questão possui uma medalha, representando que é um dos top 6 servidores para leigos em hospedagem.

TOP 6 hospedagem de sites (totalmente amigáveis!) para iniciantes