A imagem ilustra três engenheiros construindo um website como se fosse um prédio em construção. Usando guindastes, caminhões e ferramentas de obra. A diferença é que, invés de um prédio, os engenheiros estão projetando a interface apresentada no monitor de um computador.

Os 6 frameworks front-end mais amados no mundo (segundo o GitHub)

O Bootstrap é o framework front-end mais utilizado do mundo. Quem afirma isso é a empresa suíça KeyCDN, que fez um levantamento recente e descobriu quais são os 6 principais frameworks front-end no mundo. Para isso, ela utilizou o Github e seu sistema de estrelas para fazer o ranking.

Quer saber quais são estes frameworks, suas vantagens e qual se encaixa melhor com a sua necessidade? Se sim, acompanhe nossa discussão do assunto a partir de agora. Neste texto você terá não só o nome dos 6 principais frameworks, como também links para ler mais sobre assunto e ferramentas que eles utilizam. Confira!

O que são frameworks? E front-end?

Apesar de serem termos muito usados na TI, talvez você ainda não saiba exatamente o que significa um framework. Portanto, em primeiro lugar, precisamos ter essa definição clara em nossa mente.

Frameworks

A melhor definição para framework é a de ser uma ferramenta que auxilia o programador a trabalhar com determinada linguagem. Eles entregam determinadas funcionalidades pré-prontas, bastando ao desenvolvedor adaptar àquilo ao seu programa.

Por exemplo: um sistema de buscas dentro de um site pode ser implementado chamando a função busca em um determinado framework. Cada linguagem possui uma série deles e, no nosso caso, iremos explorar os frameworks front-end. Pera, não sabes o que é front-end?

Front-End

No mundo do desenvolvimento existem duas principais frentes: o back-end, que lida com cada requisição que o usuário de um sistema faz, e o front-end, que é quem atua nas interfaces, mostrando o que o usuário solicitou e gerenciando as telas que são apresentadas.

Nesse contexto, os frameworks front-end servem como ferramentas que auxiliam na criação de interfaces e na forma como os dados são exibidos. Por isso, eles se tornam muito relevantes, já que facilitam e muito o processo de desenvolvimento.

Agora que você já sabe o que é um framework front-end, vamos ver a lista dos melhores segundo o GitHub!

IMPORTANTE: A lista está em ordem descrescente. Portanto, o mais amado pela comunidade front-end está no final. Contudo, esforce-se para ler o post inteiro. Segura essa ansiedade!

6. Pure

A imagem apresenta o nome do framework "Pure". Acima disso, algumas de suas categorias: Base, Grids, Forms, Buttons e tables

O Pure é um framework front-end criado pelo time de desenvolvimento da Yahoo há alguns anos atrás. Uma das grandes vantagens deste framework é sua curva de aprendizado pequena, devido à facilidade de utilização da ferramenta.

Ele trabalha somente com códigos HTML e CSS puros, fazendo com que as aplicações sejam leves e fáceis de serem entendidas pelos programadores. Outra vantagem é que o framework é modular, ou seja, é possível importar somente as classes que possuem os códigos que você precisa, ou importar o framework completo. Isso dá uma autonomia maior ao desenvolvedor.

Como dito acima, ele é simples e fácil de se aprender, pois não necessita de JavaScript. Contudo, esse também é o seu calcanhar de aquiles, visto que  ele não tem jQuery e/ou plugins JS na sua biblioteca. Isto acaba atrapalhando na hora de fazer animações e efeitos que são bastante comuns em outros frameworks front-end.

De qualquer forma, é um framework bem popular e que vale a pena conhecer. Dê uma olhada na página oficial do framework aqui.

5. Material-UI

A imagem apresenta o logotipo do framework Material UI em um fundo azul piscina, usando elementos de material design.

Quando o Google lançou a linguagem de design chamada Material Design para o Android, ele acabou revolucionando as interfaces móveis. Suas mudanças afetaram até o iOS, trazendo formas mais geométricas e coloridas aos aplicativos e o sistema em geral. É nessa linha que o Material-UI trabalha, mas focado no desenvolvimento front-end.

Este framework facilita a criação de interfaces dentro do padrão material design, trazendo também suas animações e transições. Sua base está no React, um framework JavaScript que é focado na experiência do usuário e que só tem crescido nos últimos anos. Para mais informações sobre esse framework, nada melhor do que a elegante página oficial da ferramenta.

4. Semantic UI

A imagem apresenta o nome do framework "Semantic UI" com os dizeres: "Interface do usuário é a linguagem da Web". Tudo isso em um fundo verde escuro.

Como existem muitos frameworks front-end, quando um novo é criado, ele precisa de vantagens para se destacar. No caso do Semantic-UI, ele se destaca por utilizar LESS e jQuery. Com essas duas tecnologias, o resultado final da codificação é muito interessante e bonito para o usuário final. Se você não sabe o que é LESS e o que são pré-processadores CSS, dê uma olhada nesse post nosso.

A empresa Semantic-UI diz em seu site que seu objetivo principal é:

“Auxiliar designer e desenvolvedores, criando uma linguagem que compartilhe UI (Interface do Usuárioa)”

Para alcançar este resultado, o framework utiliza palavras reais ao invés de abreviações, como fazem a maioria dos demais frameworks. Isso dá um ar de linguagem descritiva à ferramenta, o que facilita a compreensão na hora de desenvolver. Isso levando em conta que a língua inglesa é a utilizada nesse framework.

Com relação ao funcionamento do framework, ele é dividido em:

  • ações
  • visualizações
  • módulos
  • elementos
  • coleções

Dentro de cada um destes itens existem outras variações e todos os itens estão relacionados a interface do usuário. Isto mostra como o framework é voltado à forma como as pessoas lidam com sua aplicação. Veja mais informações sobre o Semantic-UI aqui.

3. Materialize

Logotipo do framework Materialize, no fundo vermelho, ao lado de três telas (mobile, tablet e desktop) responsivas apresentando o mesmo conteúdo.

Assim como o Material-UI, o Materialize é um framework front-end que utiliza o Material Design como base de inspiração para cores, ícones e formatos. Assim como os demais frameworks, ele pode ser baixado para um projeto ou ser acessado via CDN através de um simples import.

Uma de suas vantagens é que ele tira muito proveito do jQuery, fazendo com que seja uma ferramenta cheia de recursos visuais, como Captions, Modais e Lightbox. Outra coisa interessante é o sistema de grids, parecido com o do Bootstrap…

Outro ponto positivo é que ele tem elementos exclusivos para aparelhos móveis, como aquele menu hambúrguer muito usado em aplicativos e sites para celular. Ele é considerado também mais leve e agradável que outros frameworks, o que o faz ser uma escolha muito comum e certeira.

A partir desse framework, iremos falar em nomes mais conhecidos aqui no Brasil. Não é a toa que já é possível achar cursos online para essas ferramentas: o materialize e os próximos de nossa lista. Aliás, quando o assunto é Materialize, conhecemos o curso ideal para iniciar com a ferramenta.

Para mais informações sobre o Materialize, conte com o site oficial do framework.

2. Foundation

A imagem apresenta o mascote do framework no espaço. O mascote tem a seguinte aparência: monstro branco, vestido em um traje de astronauta. Ao lado, a seguinte frase: "O mais avançado e responsivo framework front-end no mundo"

Se você já ouviu falar em SASS, então provavelmente deve conhecer o framework Foundation, lançado em 2011. Isso porque a base dele é no pré-processador SASS, além de ser um dos frameworks front-end mais utilizados no mundo.

A vantagem de ser construído em SASS é que ele permite uma construção de aplicações mais rápida, chamando diversas funções de estilo prontas. Além disso, ele também possui integração com o JavaScript, o que permite diferentes efeitos em sua utilização.

Por seguir os princípios de mobile first e melhoria progressiva, o Foundation tem a vantagem de manter um código enxuto e conciso, além de estar adaptado para os diferentes tipos de tela. Estes são alguns dos elementos que o fazem ser tão conhecido e utilizado. Conheça o mascote do Foundation e dê uma olhada na página oficial da ferramenta.

1. Bootstrap

Logotipo do Bootstrap ao centro, no fundo a cor roxo.

E o número um não podia deixar de ser o Bootstrap! Simplesmente o framework mais conhecido e famoso do mundo front-end. Criado em agosto de 2011 por dois engenheiros do Twitter, a ferramenta logo se tornou uma das mais famosas na hora de criar interfaces web.

Hoje estima-se que cerca de 7 milhões de sites utilizem o Bootstrap como framework front-end. Entre suas vantagens, podemos citar a documentação farta e a comunidade muito ativa, a infinidade de componentes que podem ser facilmente chamados em suas aplicações, além da boa base de padrões estéticos, que permitem criar páginas belas e funcionais.

Pode parecer muito elogio, mas o Bootstrap realmente merece atenção, porque as páginas criadas com ele ficam atrativas e eficientes. Você pode ver mais sobre Bootstrap nesse artigo que fizemos especificamente sobre o framework. Afinal de contas, ele merece!

Não deixe de conferir também o site oficial do framework, fazer o seu download e, por que não, fazer um curso completasso sobre Bootstrap? Tenho certeza que vai valer o seu tempo e disposição!

Qual devo escolher?

Por mais que você tenha conhecido os 6 frameworks front-end mais amados no mundo, segundo o GitHub, sabemos que optar por apenas um não é uma decisão fácil. Aliás, é bem possível que esse post só tenha confundido ainda mais a sua cabeça (desculpa). Sim, nós sabemos que não é uma escolha simples. Todos esses frameworks são incríveis!

Pensando nisso, indico que você estude cada uma das soluções apresentadas, acesse o site oficial dos frameworks e relacione tudo que você descobrir com as suas necessidades atuais.

  • Se você precisa de um framework simples para HTML e CSS, o Pure vai ser excelente.
  • Agora, se você precisa de um framework mais completo, Materialize, Foundation e, claro, o Bootstrap podem ser opções mais interessantes.

Além desse estudo, você pode começar a trabalhar com eles sem muito compromisso. Faça o download dos frameworks ou acesse via CDN e use sem dó! O importante é praticar e começar de alguma forma. Trabalhando com o framework de perto, por consequência, a sua decisão pode ser mais fácil de se fazer. Uma vez que você tomou a sua decisão, aí sim, mergulhe fundo nos estudos. Você não vai se arrepender! Se ainda precisar de ajuda, pergunte nos comentários que buscaremos te auxiliar da melhor forma possível, boa sorte!

O que você achou desse post?

9 points
Upvote Downvote
Erick Scudero

Escrito por Erick Scudero

Especialista em Marketing Digital e apaixonado por tudo que envolve o universo de tecnologia e comunicação. Durante sua jornada na terra dos cangurus (Austrália), atuou em diversos projetos prestando consultoria em questões de UX, SEO, Marketing Digital e modelos de negócio com foco em startups. É cofundador da Becode, da M2up e instrutor de cursos presenciais na TargetTrust.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

Comentários

A imagem ilustra um avatar em cada etapa de um projeto. No final, a última etapa aparenta ser uma etapa vitoriosa.

As 6 etapas fundamentais de um projeto de software

5 motivos para aprender jQuery e usá-lo nos seus projetos JavaScript!

5 motivos para aprender jQuery e usá-lo nos seus projetos JavaScript!