E se as seleções da Copa do Mundo fossem editores de texto e IDEs?

Copa do Mundo é um assunto que une todo mundo, não é? Desde tios distantes, até aqueles vizinhos que você só encontra naquela conversa constrangedora de elevador. Enfim, a galera sempre conversa sobre isso quando está perto de mais uma edição da grande copa do mundo! Aproveitando esse gancho, que tal discutirmos sobre editores de texto e IDEs de um jeito diferente. Comparando elas com nada mais, nada menos do que seleções da copa do mundo!

Qual é a melhor? Qual delas representa o Brasil e qual vai ganhar a copa?

Isso mesmo, propomos uma Copa do Mundo dessas tecnologias. A ideia, com isso, é que você conheça quais são as melhores IDEs e editores de texto que existem por ai, fazendo um veredicto final, mas de uma forma divertida e prática. Com analogias que todo mundo vai conseguir entender.

E sabe o que é o melhor de tudo? Você será o nosso juiz! Quer nos ajudar a escolher a melhor tecnologia dessa área? Então vamos lá!

Para que servem IDEs?

Não importa se você está começando agora ou é um desenvolvedor sênior: IDEs e editores de texto vão fazer parte do seu dia a dia! É através dessas tecnologias que os códigos serão desenvolvidos, compilados, testados e versionados. Independente da linguagem, ter um editor de texto é necessário para que o fluxo de desenvolvimento exista.

Apesar de serem extremamente úteis no processo de desenvolvimento, as IDEs precisam ser avaliadas na hora de serem escolhidas. Nem sempre elas são necessárias. Muitas vezes um simples editor de texto já faz o que é necessário. Por isso vamos listar aqui IDEs e editores de texto em conjunto.

Existem algumas linguagens, como o HTML, que podem ser desenvolvidas até mesmo em um bloco de notas. Mas quando se fala de linguagens mais complexas, como PHP, Ruby ou Java, é necessário ter um espaço ideal para rodar esses códigos. Que bom que existem centenas de ótimas opções para isso!

Se você quer ter mais detalhes sobre o que é uma IDE, leia o nosso post IDEs: usar ou não usar? Eis a questão.

Copa do Mundo de IDEs e Editores de Texto?

Se você conhece um desenvolvedor, pergunte para ele qual a IDE ou editor de texto que ele usa para programar. Em 99% dos casos ele responderá e dará uma série de motivos para ter feito essa escolha. Geralmente, os programadores vão pela opção que mais responde às suas necessidade. Por isso, acabam por tratar a ferramenta como uma espécie de time.

Em muitos lugares, programadores debatem saudavelmente qual é a melhor IDE e porque ela deveria ser escolhida. Basta fazer uma pesquisa no Google (por exemplo, pesquise “Sublime Text x Visual Studio”) para ver como as pessoas comparam, todos os dias, as diferentes IDEs e editores que existem por aí.

Dito isso, nesse post você vai:

  • Ou escolher uma nova seleção para torcer e defender em futuras discussões por ai. ou vai identificar qual seleção;
  • Ou descobrir qual seleção mais combina com a sua ferramenta favorita.

Continue lendo a nossa copa do mundo das IDEs e editores de texto!

Visual Studio = Alemanha, a maior

A Alemanha é uma daquelas seleções que deixam qualquer um com medo. Multicampeã mundial, com um time que tem ganho tudo nos últimos anos, nossos algozes graças ao famoso 7 a 1. Enfim, difícil lidar com eles. Pensando nisso, a IDE que melhor pode ser comparada com eles é o Visual Studio!

Criado pela Microsoft em 1997, é uma das IDEs mais longevas do mercado. Ela é voltada para as linguagens que a Microsoft oferece mais suporte, como C# e Visual Basic. Uma característica interessante da IDE é que ela oferece uma ferramenta de versionamento própria, chamada Team Foundation Server, ou TFS.

Entre os editores mais utilizados, é a única a oferecer algo assim. Por ter uma gigante da tecnologia por trás dela, acaba sendo a opção mais estável e confiável para se trabalhar. Outra vantagem está no fato de ela ser focada no framework .NET, o que entrega todas as funcionalidades possíveis para quem desenvolve nesse sistema.

Ao mesmo tempo isso é bom, isso também é um problema, já limita a ferramenta. Se você programa em PHP ou Java, não vai poder usá-la. Além disso, seu preço também tende a ser um problema, já que é uma opção cara. Contudo, atualmente a Microsoft tem criado versões enxutas, mais em conta e até mesmo gratuitas, vale a pena pesquisar!

Visual Studio Code = Bélgica, a sensação

A Bélgica é uma das equipes que vem prometendo bastante. Desde as últimas Copas ela tem montado times que prendem a respiração de torcedores no mundo todo, com jogadores de ponta nos maiores clubes do mundo. Mas porque o Visual Studio Code parece com ela?

Assim como a seleção está inovando e impressionando no futebol, o VS Code (como é carinhosamente chamado) tem ganho um espaço considerável no mercado de desenvolvimento. O editor de texto com ares de IDE herdou o nome do pai famoso, o Visual Studio. O produto também é da Microsoft, mas focado para quem precisa de um editor de texto versátil.

(Além de tudo isso, a bandeira da Bélgica é parecida com a bandeira da Alemanhã. O mesmo serve para o logotipo do VS Code e o logo do Visual Studio. Viu!? Mais um motivo para o VS Code ser a Bélgica!)

Sua grande vantagem é que, apesar de leve, ainda possui recursos essenciais no processo de desenvolvimento. É possível, por exemplo, debugar seu código e rodá-lo em busca de erros. Nesse modo, você pode pausar cada função e analisá-las a cada interação, para entender se o que foi desenvolvido está funcionando ou não.

Atualmente o VS Code é um dos editores de texto que mais cresce no mercado, e a tendência é que continue ganhando espaço. Assim como a seleção da Bélgica, promete muito e tem entregado um bom serviço até aqui. Vale a pena ficar de olho!

Sublime Text = Itália, a versátil

Na Copa do Mundo tem uma seleção que (quase) sempre faz barulho: a Itália. Além de ser um time com várias conquistas mundiais, ela também tem um ótimo elenco, mesmo que a cada ano seus ídolos envelheçam. Se formos comparar essa seleção com as IDEs, o Sublime Text seria a opção mais parecida!

Isso porque ele é um dos editores mais usados pelos desenvolvedores web. Ele perde em uso apenas para o Visual Studio (voltado para a suíte .NET) e o Notepad++ (iremos falar sobre ele mais adiante). Assim como a Itália, o Sublime Text conta com ótimos recursos. Como exemplo, poderíamos citar:

  • Leveza: feito em C++ e Python, ele é super leve e rápido, sendo uma das opções mais rápidas de todas as citadas aqui;
  • Configurações: suas configurações usam a sintaxe JSON, que é um padrão supers reconhecido no mercado, ou seja, mudar suas funcionalidades é algo simples;
  • Customização: é possível customizá-lo amplamente, desde fontes até ícones e ferramentas adicionais;
  • Multiplataforma: funciona muito bem tanto em OS X, Windows ou Linux;
  • “Mini Mapa”: a ferramenta possui um mini mapa ao seu lado direito, isso mostra toda a estrutura do código e facilita o seu manuseio em aplicações com muito código;

Mas nem tudo são flores! Apesar da Itália ser uma seleção forte, ela nunca tem um grande craque em seu elenco, sempre sofrendo com isso. No caso do Sublime, seu pecado é a constante necessidade de instalar pacotes para qualquer funcionalidade simples (o fato de ser leve se dá por ele ser um editor de texto puro), além de não ser voltado a testes.

Sendo assim, se você escreve uma sintaxe errada nele dificilmente perceberá sozinho, apenas quando estiver com seu código rodando. Por ser voltado a quem codifica bastante, seu visual também é muito liso, faltando barras de tarefas e ferramentas que são presentes nos outros editores.

Apesar de ser open source, ele sempre exibe um popup que pede para que você contribua caso queira que a mensagem suma. Não chega a incomodar tanto quanto o Winrar, mas costuma irritar alguns desenvolvedores sim.

“Ahhh, mas a Itália nem tá na Copa”

Sim, sabemos que a Itália não está na Copa do Mundo Rússia 2018, mas pelo amor de deus né, estamos falando de uma seleção tetra campeã. Seria um desacato ao patrimônio histórico das copas do mundo essa seleção não estar em nossa lista. Então, ela vai estar na lista SIM!

Vim = Inglaterra, o clássico

A Inglaterra é o país onde o futebol nasceu. Devido a sua história, em todas as Copas é esperado um mega desempenho por parte do time. Grandes nomes fazem parte da seleção, mas seu desempenho sempre fica aquém. No caso dos editores, podemos dizer que o Vim é quem se aproxima disso.

Não com relação ao desempenho do editor, mas à sua praticidade. Se você gosta de atalhos e de usar o mouse, esqueça o Vim. Ele é uma ferramenta open source lançada para Linux no começo dos anos 90. Para ter ideia de como ele é difícil de se acostumar, uma pergunta no Stack Overflow sobre como executar o comando de “sair” já teve 1 MILHÃO de views!

Contudo, nem por isso é uma opção ruim. A ideia de ser baseado apenas em teclado dá certa agilidade em sua utilização. É possível também criar plugins para o Vim, utilizando Python, Lua ou Perl. Inclusive, essa seria uma ótima oportunidade para aprender mais sobre Python!

O fato de ser open source até então faz com que seja uma boa opção, principalmente se você gosta de ter uma ferramenta sem muitas firulas. Entretanto, é bom se preparar para ter uma curva de aprendizado um pouco acentuada.

Notepad++ = Argentina, a usual

O Notepad++ é uma espécie de bloco de notas aditivado. Assim como a Argentina, seleção que cumpre seu papel na maioria das vezes, ele é um editor de texto poderoso. É possível ver a sintaxe de inúmeras linguagens, tendo todos os destaques necessários em termos de cores e tags.

Seu funcionamento é muito rápido, já que é um editor de texto simples. Também é possível deixá-lo melhor por meio de plugins externos. Se você não quer ocupar espaço no seu computador, é possível utilizá-lo a partir de um pendrive.

Como desvantagens, ele funciona apenas no Windows, tem uma interface bem antiquada, além de não oferecer suporte a sintaxe de linguagens mais novas. Um bug que tira a paciência de muitos desenvolvedores é o de não ler alguns tipos de tags e comentários, o que pode comprometer seu fluxo de trabalho no dia-a-dia.

PHPStorm = França, o parrudo

Outro algoz brasileiro, com nomes de peso e taças empilhadas em casa. Essa é a França, seleção que sempre chega forte nas Copas do Mundo. Mas todo esse peso gera uma pressão, o que significa maior dificuldade na hora de fazer bater bola. Com relação ao PHPStorm, ele é bem parecido com essa seleção.

O PHPStorm foi lançado pela JetBrains em 2012, sendo atualizado até hoje. A empresa é a mesma por trás do WebStorm, Clion e IntelliJ, IDEs para JavaScript, C# e Java, respectivamente. A empresa tem ótima reputação no mercado, tendo soluções completas para inúmeras linguagens.

Apesar de ser eficiente e cheio de funcionalidades, seu processamento é um pouco lento, principalmente se sua máquina não for de ponta. Quem trabalha com PHP, área que ainda está em alta, costuma utilizá-lo por ser mais fácil de versionar, testar e programar com a linguagem.

Outro problema é seu custo elevado, o que faz com que não seja uma opção das melhores para quem não quer gastar dinheiro com IDEs. Se for o caso, VS Code e Sublime Text podem suprir parte dessas necessidades. Não são IDEs completas como o PHPStorm, mas vão ajudar a desenvolver páginas e funcionalidades.

Se você for estudante, é possível conseguir uma licença de 1 ano gratuitamente através do site da empresa. Enfim, essa pode ser uma forma para utilizar uma ferramenta premium sem ter que pagar. Se informe sobre o assunto.

Brackets = Espanha, apenas no legado

Entre 2008 e 2012, a Espanha foi uma das seleções que mais encantou os fãs de futebol. Com seu tik-taka contagiante, a equipe ganhou duas Eurocopas e uma Copa do Mundo. Apesar de todo o barulho que ela fez na época, hoje o que restou foi apenas a história escrita pelo time.

Tal como eles, podemos citar o Brackets. O editor de texto da Adobe foi lançado em 2014 e chamou muita atenção quando anunciado. Não apenas por ser de uma das principais empresas de mídia que existe (Illustrator, Photoshop e Dreamweaver) mas também por ter ferramentas muito úteis capazes, por exemplo, de ler arquivos .PSD e entregar um código para aquele layout.

Apesar de todas as funcionalidades, o programa não decolou, se tornando apenas mais uma opção no mundo dos editores de texto e IDEs. A ferramenta ainda é atualizada, mas não tem tanta adesão como as demais que citamos.

Atom = Portugal, vale a pena observar

Portugal tem em sua equipe um dos melhores jogadores de todos os tempos, Cristiano Ronaldo. Isso tem feito muita diferença a cada ano que passa. Vimos isso na conquista da Eurocopa 2016.

Tal como essa seleção que ainda está em alta, podemos citar o Atom. O editor de textos é bem conhecido da comunidade, rivalizando diretamente com Sublime e VS Code. Seus diferenciais consistem em ter um sistema de gestão de pacotes próprio, o que permite que extensões sejam adicionadas e melhorem o processo de desenvolvimento.

Além disso, ele é simples de utilizar e open-source. Isso significa que as pessoas podem contribuir para sua melhoria e também para que novos usuários não tenham tanta dificuldade em se adaptar a ele. Vale a pena baixar e testar!

Bloco de Notas = Uruguai, programação raíz

O clássico bloquinho de notas é aquela ferramenta raíz que todo mundo ama e sempre tá presente. É fácil de usar, leve e prático. Basta dar um duplo clique e pronto, já abriu. Além disso, apesar de ser ridiculamente simples, ele é muito útil para códigos curtos, anotações e por aí vai. As razões para usar um bloco de notas são muitas. Em alguns casos, parece até que inventamos motivos para poder usá-lo (hahaha).

Mas então, o bloco de notas já teve seus anos de glória com o lançamento das primeiras versões do Windows e outros sistemas operacionais que apresentaram ferramentas similares. Geralmente, ele é o editor de texto padrão, aquele que vem junto com o sistema.

A história dessa tecnologia é parecida com a da seleção Uruguaia, que ganhou somente as primeiras Copas realizadas e depois… bem, depois nunca mais né. Apesar de o pouco sucesso nos últimos anos, ela sempre pinta ali até as quartas de final e agrada pelo seu futebol simples, mas raíz e com muita raça!

O bloco de notas tem uma tecnologia ultrapassada e não apresenta novidades ao longo dos anos. Apesar de tudo isso, todo mundo ama o Bloco de Notas e sempre queremos assistir uma partida… opa, digo… usar o bloco de notas clássico. Só eu vejo a semelhança aqui?

Cadê o Brasil?

Em época de Copa, somos muito patriotas né? Nesse caso seria difícil definir qual editor de texto ou IDE seria comparável a nossa incrível seleção brasileira. Sendo assim, deixamos a decisão com você! Depois de tantas IDEs e editores de texto, qual deles você acha que representaria melhor o Brasil? Diga para a gente nos comentários! E lembre-se, IDEs são legais e tudo mais, mas o mais importante é aprender a tecnologia em si. Assim você não fica dependente de uma ferramenta específica.

Além disso, caso sua necessidade seja apenas “criar um site”, por exemplo, um Sublime Text ou VS Code já suprem suas necessidade com tranquilidade. Agora, se você quer ver uma aplicação rodando em tempo real, com interações a banco de dados, requisições e validações, experimente utilizar uma IDE, como o PHPStorm ou IntelliJ. Tudo vai depender do seu caso!

O mais importante é não se sentir pressionado para usar uma IDE ou editor específico. Faça o download, brinque com cada uma e escolha a tecnologia que melhor atende a sua necessidade!

Se você tem dúvidas sobre como escolher a melhor IDE e editor ou se quiser conhecer mais alguma linguagem, nos envie suas perguntas pelos comentários que faremos o possível para te responder!

O que você achou desse post?

2 points
Upvote Downvote
Danilo Soares

Escrito por Danilo Soares

Web Developer no Estadão, especialista em telecomunicações e autor oficial da Becode. Profissional com experiência em Portugal, onde atuou como desenvolvedor. Formado em Sistemas de Informação pelo Mackenzie, possui conhecimentos em PHP, Java, Ruby on Rails, Cloud Computing, monitoramento e por aí vai. No tempo livre, é fã de livros, da arte de tocar piano e Netflix.

Comentários

Leave a Reply
  1. Gostei. Ficou bem criativo o Post. Eu utilizava o PHP STORM como IDE. Bem melhor que o Adobe DW no quesito PHP.
    Hoje, me dou bem com o Sublime Text e não o troco facilmente.
    Brackets é bem legal, já o ATOM, não gostei nem um pouco pelo processamento parrudo e demorado.

    • Nós não esquecemos, mas colocamos pela tradição. Veja o trecho:

      “Sim, sabemos que a Itália não está na Copa do Mundo Rússia 2018, mas pelo amor de deus né, estamos falando de uma seleção tetra campeã. Seria um desacato ao patrimônio histórico das copas do mundo essa seleção não estar em nossa lista. Então, ela vai estar na lista SIM!”

      Abraços!

  2. Parabéns pelo o artigo, mas para mim o VIM é a seleção brasileira. Por ser completa e sempre estar em todas as distribuições Linux e no Mac. Usar o teclado e igual passe de bolas precisos.

    Se a seleção brasileira é muito técnica em seu futebol, o VIM é muito técnico, por mais que tenha uma curva de aprendizado bem imbrigue, quando se aprende é igual o futebol refinado da seleção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

Comentários

A imagem mostra um computador com o logo do Vue.js no centro de sua tela.

(TUTORIAL) Como criar seu primeiro app com Vue.js

[QUIZ] Que tipo de desenvolvedor é você?

[QUIZ] Teste que tipo de desenvolvedor é você?