Back-end vs Front-end vs Full-Stack: qual é a melhor escolha? | Becode

Back-end vs Front-end vs Full-Stack: qual é a melhor escolha?

Logo que decidimos aprender a programar e desenvolver sites e aplicações, sempre nos deparamos com uma difícil escolha: por onde começar? Mesmo que você já tenha escolhido uma linguagem para iniciar, talvez você ainda desconheça o potencial completo dessa tecnologia. Além disso, em muitos casos, talvez você nem saiba a qual área do desenvolvimento ela pertence.

“Áreas do desenvolvimento? Existe mais de uma?”

Exato! Existe e tradicionalmente separamos essas subdivisões em front-end e back-end.

E esse post tem o objetivo de explicar tudo isso, bem como, introduzir a novidade do setor, a subdivisão full-stack (back-end + front-end).

Continue lendo! Ao final, você entenderá a diferença de programar “para o usuário” e “para o servidor” – ou carinhosamente apelidados de “client-side” e “server-side” – e ainda, como cada linguagem entra em cada subdivisão: back-end, front-end ou full-stack.

Então vamos lá! Pronto para descobrir o que significam esses termos e onde cada linguagem de programação irá se encaixar?

Front-end: lidando com o usuário

Front-end: lidando com o usuário | Back-end vs Front-end vs Full-Stack, qual a melhor escolha?

A expressão inglesa, traduzida livremente, significa algo como fins de frente. Se uma linguagem é classificada como front-end, isso significa que ela lida com a interface com o usuário. Em outras palavras, quando você acessa um site ou uma aplicação web ou mobile, o que você vê na interface foi feito com a utilização de tecnologias front-end.

IMPORTANTE: também chamamos esse lado da programação de client-side. Em português, lado do cliente.

Exemplo e linguagens front-end

Vamos deixar mais claro! Pegue como exemplo esse post que você está lendo nesse exato momento: a imagem acima foi inserida via HTML (linguagem de marcação), o texto que você está lendo e os vídeos presentes em nossos cursos, também! Resumindo, todo o conteúdo presente na tela é inserido com a utilização de códigos HTML, em forma de tags.

Mas só HTML não é suficiente, é preciso ter estilo também: cores, efeitos… uma identidade visual. Quem concede essa identidade para uma página é o CSS (linguagem de folhas de estilo). De novo, pegando como exemplo essa página: os detalhes em amarelo, a cor de fundo da página, a formatação do texto, do cabeçalho, do rodapé e dos títulos. Essa identidade visual existe graças ao CSS.

Por último, mas não menos importante, temos o JavaScript (linguagem de programação). O responsável por trazer vida a nossa página. É através do JavaScript (JS) que a nossa página ganha um comportamento: sliders, animações, efeitos de scroll, condicionais, ações no site baseadas em eventos, enfim. Agora sim, com a adição do JS, estamos lidando realmente com programação front-end!

Então, para iniciar na área de desenvolvimento front-end, a primeira coisa que o profissional precisa aprender é HTML, CSS e JavaScript, sem sombra de dúvidas. Portanto, se você tem interesse por essa área, não deixe de conferir o nosso curso para iniciantes nessas linguagens.

Bibliotecas e frameworks auxiliares

Além da trinca mais conhecida do mercado front-end (HTML, CSS e JavaScript), essa área ainda conta com diversas tecnologias extremamente conhecidas que ajudam (e muito!). Veja uma pequena amostra abaixo:

  • jQuery
  • Sass
  • AngularJS
  • React
  • Vue
  • Foundation
  • Bootstrap
  • E a lista vai longe!

Como você pode ver, não dá pra listar tudo que existe nesse mercado de uma forma tão simples. Cada item acima poderia ter um post exclusivo. Aliás, pretendemos fazer isso no futuro, mas vamos com calma. Por enquanto, temos um artigo exclusivo para explicar o que é Sass, se você tiver interesse nessa tecnologia, não deixe de conferir.

Enfim, são centenas de frameworks, bibliotecas e tecnologias auxiliares. Obviamente, você como profissional não precisa aprender tudo, mas sim aquilo que irá ajudar você na hora de desenvolver suas aplicações.

Vantagens de ser um desenvolvedor front-end

O front-end é uma área muito importante, pois se relaciona diretamente com o usuário. Quem escolhe esse caminho, como alternativa, pode atuar também como web designer na criação de mockups e layouts, ou pode se tornar um analista de experiência do usuário, analisando o uso das interfaces e buscando melhorias. Nesse artigo, descrevemos um pouco sobre essas áreas alternativas.

Claro, não só isso! O desenvolvedor front-end efetivamente programa as telas e interfaces de navegação, exercendo um papel crucial no ciclo de vida da aplicação. Pense dessa forma:

O desenvolvedor back-end é o cara que constrói a casa, com as fundações, pilares estruturais e tudo o mais. O desenvolvedor front-end vai ser o designer dessa casa, organizando os espaços de convivência, definindo as formas de utilização dessa casa, etc.

Logo, ser um desenvolvedor front-end é uma das grandes carreiras que você pode seguir no mercado de desenvolvimento. Se você curtiu a ideia e já está afim de experimentar, dá uma olhada nesse ebook para aprender a criar a sua primeira página usando HTML e CSS.

Aprenda JavaScript (JS)

Cá entre nós, vamos te dar uma dica daquelas de amigo de verdade: pense com carinho no JavaScript (JS)! Essa linguagem nasceu no front-end e hoje é a base dos frameworks e tecnologias mais utilizados da área, como o Angular, node.js, React e jQuery. Se você se dedicar, estudar e, por fim, dominar o JavaScript, você terá grandes chances de encontrar boas oportunidades no mercado de trabalho!

Além disso, o JS também é uma das linguagens que podem ser usadas no back-end também.

“Pera aí! Existe linguagem que pode funcionar tanto no front-end, quanto no back-end?”

Sim! Vem com a gente que vamos explicar melhor essa história!

Back-End: lidando com o servidor

Back-end: lidando com o servidor | Back-end vs Front-end vs Full-Stack, qual a melhor escolha?

Se o front-end cuida das interfaces com o usuário, quem é que busca as informações? Isso mesmo, o back-end. O termo significa algo como trabalho dos bastidores, ou seja, quando o usuário digita um endereço, é o back-end que processa aquele endereço e envia os dados para o front-end apresentar na tela.

IMPORTANTE: também chamamos esse lado da programação de server-side. Em português, lado do servidor.

Por ser uma área muito abrangente, existem diversas linguagens, frameworks e tecnologias para estudar. Cada um deles é focado em diferentes aspectos e soluções. Existem as tecnologias de back-end voltadas para web, como:

  • PHP
  • Ruby on Rails
  • Node.js
  • Python

E existem também as linguagens focadas em soluções desktop, os famosos programas de computadores e sistemas:

  • C
  • C#
  • C++
  • Java

Claro, as tecnologias citadas acima, são apenas algumas das diversas existentes no mercado. A lista de frameworks e linguagens para back-end é muito maior. Na Becode, temos diversos cursos e treinamentos para essa área. Se você se interessou, não deixe de conferir!

Como escolher qual estudar?

Busque sempre aprender as linguagens que vão atender os seus objetivos de carreira, bem como, os requisitos do projeto no qual você está envolvido. Existem linguagens que funcionam melhor para lidar com requisições web, outras são melhores para a construção de aplicações desktop.

Um bom exemplo disso é o node.js. Um framework baseado em JavaScript que faz o back-end tanto de sites, como de aplicativos móveis. Mas nem todas as tecnologias back-end são voltadas para esse objetivo, por isso, é válido estudar cada uma delas antes de começar a efetivamente programar.

Então, se você quer ler mais sobre as linguagens de programação antes de se comprometer com o estudo efetivo de alguma delas, não deixe de ler o nosso artigo focado em explicar as principais características das linguagens de programação mais populares.

Vantagens de ser um desenvolvedor back-end

Todo aplicativo, site ou serviço tecnológico precisa de um desenvolvimento back-end para ter suas requisições tratadas. Pensando nisso, já dá para ter uma noção da importância dessa área da programação. Mas não é apenas isso.

As ditas linguagens front-end criam demandas no mercado. Você pode, por exemplo, atuar como analista de projetos, entrevistando as pessoas que precisam de uma solução para entender quais são as reais necessidades da aplicação. Se você gosta de escrever, tem a opção de ir para a área de documentação e testes, realizando avaliações e testes nos aplicativos e serviços.

Mas se você gosta muito de programar, vá em frente! Essa tende a ser a escolha natural da maioria dos desenvolvedores. Ao invés de criar interfaces, você precisará lidar com banco de dados, ler os dados enviados pelo usuário e decidir, via código, se aquilo é um erro ou não. Algo que exige mais abstração por parte do desenvolvedor. Note que a atuação do back-end está muito ligada também à segurança da aplicação, enquanto à do front-end está relacionada com o bem-estar do usuário.

Full-Stack, o tudo em um!

Full-Stack, o tudo-em-um | Back-end vs Front-end vs Full-Stack, qual a melhor escolha?

Aaaaah, mas eu gostei das duas modalidades! E agora?? Caaaalma, tem lugar pra todo mundo!

Eu diria que você precisa conhecer o desenvolvedor full-stack. Uma carreira que vem se mantendo muito em alta nos últimos anos. Mas o que é full-stack?

O termo vem do inglês “pilha completa” e se refere ao englobamento do front com o back-end. Dessa forma o desenvolvedor full-stack cria não apenas soluções para o usuário, mas também trata cada requisição feita por ele. Louco isso, né?

Algumas pessoas acham isso impossível, tendo em vista que você precisa dominar mais do que apenas uma linguagem e um framework. Mas a gente aqui entende que essa é uma das carreiras mais promissoras do mercado de TI. Simplesmente pelo fato de que nela você dificilmente ficará desempregado. E ainda tem mais benefícios!

Vantagens do desenvolvedor full-stack

Se você leva a sério a ideia de trabalhar com desenvolvimento, você deve saber como é importante dominar não apenas uma linguagem, mas todas as habilidades e conhecimentos essenciais a um programador. Sendo assim, saber um pouco de cada vertente já é uma habilidade esperada no mercado.

Ter o perfil de um desenvolvedor full-stack pode parecer difícil no começo, mas vale muito a pena no longo prazo! Além disso, você terá maior controle sobre todo o processo de desenvolvimento das aplicações.

Se existe algo difícil, em qualquer setor, é ter que depender de equipes para fazer seu trabalho. Sendo o único programador de uma solução, fica mais fácil entender como tudo funciona e até mesmo encontrar soluções para os problemas que surgem. E só de não ter que depender de outro setor para avançar no projeto, sua produtividade pode aumentar consideravelmente.

Isso tudo sem levar em consideração a autonomia que um desenvolvedor full-stack possui. Ah! E você ainda tem boas chances de conquistar mais oportunidades como freelancer, para ganhar um dinheiro extra (…que sempre é bom, certo?).

E aí, já sabe o que escolher?

A gente sabe que depois desse texto talvez continue sendo complexo de tomar uma decisão definitiva. Mas nosso objetivo é te mostrar como a área de desenvolvimento é vasta e receptiva a todos que queiram entrar nela. Acredite, há sempre oportunidades, basta você correr atrás delas e se qualificar!

Se você ainda não tem ideia de qual caminho seguir, escreva num papel o que você procura. Veja se o que te chama mais a atenção, comece optando por desenvolvimento móvel, desktop ou web. Depois disso, avalie o seu perfil profissional e a sua personalidade, aposto que vai te ajudar muito a decidir se é o front ou o back-end – ou os dois! –  que mais te agrada. Depois disso, é só escolher a linguagem que você vai começar!

Agora, se você já escolheu e está pronto para começar a trilhar a sua trajetória profissional, conte com os cursos da Becode para te ajudar nessa missão. Você vai precisar de muitas horas de estudo para chegar ao seu objetivo profissional!

E, com certeza, nós estaremos aqui para te ajudar a ser um programador de sucesso no Brasil e no mundo! Conta pra gente, aí nos comentários, o que falta para você começar a programar? E quem já começou, conta quais estão as maiores dificuldades da área? Até mais, pessoal!

 

Curso online de HTML5, CSS3 e JavaScript da Becode! O seu primeiro passo para se tornar um front-end developer!

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Keise de Leone Marques

Written by Keise de Leone Marques

Comunicadora dedicada à tecnologia da informação e MBA em Marketing Digital. Fã da análise de dados, curiosa por Big Data e Internet das Coisas. Nas horas vagas, procura agregar conhecimentos com novas certificações. Objetivo: aliar Comunicação e Tecnologia da Informação para revolucionar o mundo.

Comments

Leave a Reply
    • Valeu Camisss! 😀 Se tiver sugestões de assuntos ou outras coisas que tu queira entender sobre a TI, manda pra gente que vamos dissecar pra facilitar o entendimento! heheh beijocas

    • Oi Paulo! Poxa, muito bacana saber que você se mantém informado através da Becode. Se tiver sugestões, manda pra gente! 🙂 Abraço!

    • Oi Paulo! Entendi, então você quer ser Full-Stack, é isso? O desenvolvedor full-stack é o que atua tanto no back-end, quanto no front-end. Então, para começo de conversa, você vai precisar aprender sobre Lógica de Programação, esse é o primeiro passo de todos os desenvolvedores.
      Daí se você for começar pelo front-end, aprenda HTML, CSS e JavaScript. São as tecnologias que você mais vai utilizar no front-end. Mas eu sugiro que você comece pelo back-end, aprendendo sobre Banco de Dados relacionais e não relacionais. E depois de saber tudo sobre bancos de dados, escolha uma linguagem de programação e comece seus estudos. A linguagem back-end pode ser Java, PHP, Python, enfim… a que você preferir! Certo?
      Vou deixar aqui os links dos cursos desses conteúdos. E se ficar mais dúvidas, me pergunte, por favor!
      Lógica de Programação – https://goo.gl/tePw2x
      HTML, CSS e JavaScript – https://goo.gl/PQ2SW1
      Banco de Dados MySQL – https://goo.gl/FumiyE
      Banco de Dados SQL Server 2014 – https://goo.gl/2rjMqy
      Java – https://goo.gl/Dtykdo
      PHP – https://goo.gl/MsjFvb
      Python – https://goo.gl/y8Cf5i
      Aqui no blog da Becode fizemos um post com um plano de estudos para os iniciantes na TI. Então se você quiser complementar seu planejamento, dá uma olhada nesse link: https://goo.gl/jsHQEC

  1. Olá meu nome é weslley tenho 21 anos nao sei absolutamente nada relacionado a programaçao mas tenho um grande desejo de aprender so nao sei qual o melhor caminho ja que sou totalmente leygo no assunto, me ajudem ae por onde devo começar? minha preferencia seria Back-End mas digam ai por onde devo começar! Desde ja muito obrigado estou a uu tempo procurando o caminho e esse post foi a luz mais brilhante que encontrei ao fim do túnel ja tirou as principais duvidas agora so preciso de uma sugestão…

  2. Meu, que site ***********
    Demais, não sei quem escreveu este artigo, mas gostaria de parabenizar, realmente, como disseram, também foi uma luz pra mim!
    No momento, faço Gestão da Tecnologia da Informação, na Estácio, pela modalidade EaD, estou no primeiro semestre, ainda não estamos vendo nada sobre essas coisas, Front-End, Back-end, acredito ser uma coisa mais técnica.
    Como também trabalho, fica difícil para saber o que estudar além da matéria da instituição, além dos horários que não ajudam em nada.
    Gostaria de fazer esses cursos em paralelo com a faculdade, para acelerar no processo de estágio, e ter um cargo bom relativamente logo, tendo em vista que tenho 28 anos! ;(
    O site ajudou muito sobre coisas que não tinha nem noção.
    Obrigado a todos vcs!
    Continuem assim!

    • Pedro, espero que o ***** seja coisa boa hahahahha

      Quem escreveu esse post foi a Keise Marques, em conjunto, com nossos editores técnicos. Ficamos muito felizes em poder estar te ajudando. Quanto ao seu plano, vá fundo! Consulte as dicas de cursos em nosso site e faça-os! Você irá gostar e se preparar para ter cargos melhores. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Comentários

Comentários

Desenvolvimento Android vs iOS - Escolha de que lado você fica!

Desenvolvimento Android vs iOS – Escolha de que lado você fica!

O que é DevOps? Processo, origem e problemática!